Dados Financeiros e Operacionais Históricos
 
Guia de Modelagem

Receita Bruta

A principal atividade da Companhia é o beneficiamento, distribuição e comercialização de arroz, feijão, açúcar e pescados enlatados. Adicionalmente, também beneficia, distribui e comercializa outros grãos, dentre os quais ervilha, grão de bico, lentilha, soja, canjica amarela e branca, milho de pipoca e proteína de soja. Além de outros grãos, em menor escala, a Companhia também gera energia elétrica a partir da casca do arroz, bem como comercializa óleo de arroz, azeites e presta serviços de irrigação, armazenamento e secagem de grãos.

O histórico de volumes e preços brutos de arroz, feijão, açúcar e pescados podem ser encontrados nas planilhas do início da seção. A Companhia conduz suas operações e reporta seus resultados em dois segmentos: (i) Alimentício Brasil: compreende as operações realizadas pelas unidades estabelecidas no Brasil, nas linhas de produtos de grãos, pescados, açúcar e outras receitas; e (ii) Alimentício Internacional: compreende as operações realizadas pelas unidades estabelecidas no Uruguai, Chile e Peru, na categoria de grãos. No Segmento Alimentício Brasil, uma parte substancial das vendas é realizada no mercado interno brasileiro, enquanto no Segmento Alimentício Internacional, grande parte das vendas decorre de exportações por meio de nossa subsidiária uruguaia Saman.

Impostos sobre vendas e devoluções e abatimentos

O ICMS é um imposto de competência estadual e incide sobre a nossa receita bruta de vendas a alíquotas que variam entre 0% e 20%, de acordo com o tipo de produto e o Estado no qual esse produto é vendido. Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, os impostos sobre vendas representaram cerca de 7% da receita bruta.

As devoluções consistem dos produtos que vendemos aos nossos clientes e que nos são devolvidos em caso de avarias ou após a expiração dos respectivos prazos de validade. Os abatimentos consistem dos descontos que concedemos, caso a caso, somente aos nossos clientes, de acordo com negociações que se baseiam normalmente no volume de produtos vendidos, e qualidade e longevidade do relacionamento com cada cliente. Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, devoluções e abatimentos representaram cerca de 7% da receita bruta.

Receita Líquida

O histórico de preços líquidos por categoria também podem ser encontrados nas planilhas para suporte da modelagem da receita líquida. Tendo em vista a receita operacional líquida, a Companhia depende, principalmente, das atividades desenvolvidas no Brasil, sendo a dependência da Companhia das atividades desenvolvidas no exterior menor.

No exercício social encerrado em 28 de fevereiro de 2018, as receitas decorrentes das vendas no Segmento Alimentício Brasileiro representaram 71% da receita líquida de vendas e serviços, enquanto as receitas decorrentes das vendas no Segmento Alimentício Internacional representaram 29% da receita líquida de vendas e serviços.

Destacamos abaixo o detalhamento da dinâmica por categoria e calendário agrícola dos principais insumos da Companhia:

Alimentícios Brasil

Grãos

  • Grãos

Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o volume de grãos Brasil representou aproximadamente 34% do total. As principais marcas de grãos da Companhia, em termos de volume, incluem Camil e algumas marcas de combate com relevância regional, como por exemplo Namorado (a partir de dezembro 2018, com a conclusão da aquisição da SLC Alimentos), Pop, Príncipe, Carreteiro e Tche.

  • Arroz

Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o volume de arroz no Brasil representou aproximadamente 30% do total.
A safra do arroz ocorre uma vez ao ano, entre os meses de fevereiro e maio, conforme calendário agrícola demonstrado abaixo. A Companhia beneficia uma variedade de diferentes tipos de arroz para atrair maior número de consumidores e possui uma relação de longo prazo com os fornecedores de arroz com compras diárias a preço de mercado, alocando aos produtores os riscos de preços das commodities ao longo do ano.

  • Feijão

Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o volume de feijão representou aproximadamente 4% do total.
O feijão possui três safras por ano, que são colhidas em março, agosto e novembro. A primeira safra é conhecida como safra das águas devido ao alto índice de chuvas. O plantio dessa safra na região Centro-Sul vai de agosto a dezembro e no Nordeste, de outubro a fevereiro. A segunda é chamada de safra da seca, com plantio realizado de dezembro a março. A terceira, por sua vez, é a safra irrigada, por se referir à colheita do feijão irrigado, com a concentração do plantio na região Centro-Oeste e Sudeste, de abril a junho.

  • Outros Grãos

Dentre os outros grãos comercializados, a Companhia possui grãos especiais, biscoito de arroz, linha de produtos prontos e outros produtos de alto valor agregado. Os grãos especiais são compostos por ervilha, grãos de bico, lentilha, milho, soja e canjica. Esses produtos, apesar de possuírem uma margem muito positiva, não possuem representatividade na receita, devido à volatilidade de fornecimento desses insumos. O biscoito de arroz é o produto com maior crescimento em receita na Companhia, sendo produzido em duas plantas.

A linha de prontos são os alimentos processados e divididos em produtos de conveniência e conserva. Dentre os alimentos de conveniência a Companhia produz 5 tipos de feijões (Carioca, Preto, Branco, Fradinho e Rajado). A linha de proteína de soja é apenas comercializada e distribuída pela marca Camil. A Companhia possui um parceiro estratégico e não atua na etapa de produção.

  • Açúcar

Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o volume de açúcar representou 27% e 28% do total, respectivamente. O fornecimento de açúcar é feito por meio de um contrato de fornecimento de longo prazo com volumes e preços de mercado pré-acordados com um fornecedor estratégico. A marca União está presente também nos segmentos de açúcar orgânico, adoçante de sucralose, açúcar especial para culinária, massa para bolos, entre outros.

  • Pescados

Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o volume de pescados representou aproximadamente 2% do total. A Companhia possui processamento de peixes enlatados localizados estrategicamente em Navegantes, Santa Catarina. Adicionalmente, a Companhia produz molhos e patês derivados do atum e sardinha para comercialização. O suprimento de pescados para venda no mercado local é feito por uma base fragmentada de fornecedores e completada por importações. As principais marcas de pescados da Companhia são “Coqueiro” e “Pescador” (marca de combate).

Alimentícios Internacional

  • Uruguai

Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o volume do Uruguai representou 28% e 27% do total, respectivamente. A Saman comercializa biscoitos de arroz, doces e salgados, tendo em seu portfólio óleo vegetal e subprodutos como o farelo de arroz e arroz quebrado.

  • Chile

No Chile, nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o volume representou aproximadamente 4% do total. Com as marcas Tucapel e Banquete, a operação chilena é voltada para o atendimento do mercado local. A Tucapel trabalha com diferentes tipos de produtos além do carro chefe, o arroz. Entre eles, legumes (feijão, ervilha, grão de bico e lentilha), risotos semi-preparados, farinha de arroz, receitas de arroz pré-prontos, além de azeite de oliva, quinoa e biscoitos de arroz.

  • Peru

Nos últimos dois exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o volume do Peru representou 5% e 4% do total, respectivamente. No Peru, a Companhia está presente com a Costeño, por meio da comercialização de diversos produtos, os principais sendo arroz branco e especiais, tendo em seu portfólio de vendas óleo vegetal, açúcar e diversos cereais como lentilha, quinoa, trigo, feijões e milho.

Custo dos Produtos Vendidos

Os principais insumos utilizados no processo produtivo da Companhia e suas controladas são commodities agrícolas, cujos preços sofrem flutuações em função das políticas públicas de fomento agrícola, sazonalidade de safras e efeitos climáticos. Nossos custos das vendas e serviços compreendem portanto, principalmente, no custo com matérias primas, que consistem de arroz em casca, feijão, açúcar, pescados e materiais de embalagem e auxiliar. Nosso custo com matérias primas é o custo mais representativo do nosso custo das vendas e serviços, representando cerca de 80% dos custos das vendas e serviços.

Nos exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, o custo das vendas e serviços representou aproximadamente 75% da receita líquida dos períodos.

Despesas

Nossas despesas operacionais incluem, principalmente, despesas com vendas, despesas gerais e administrativas, resultado de equivalência patrimonial e outras despesas operacionais.

Nossas despesas com vendas consistem de custos com frete, marketing e outras despesas diretamente relacionadas com a venda dos nossos produtos, concentrando em grande parte nossas despesas variáveis. Nos exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, as despesas com vendas representaram 12% e 10% da receita líquida do período, respectivamente. O EBITDA e a Ma

Nossas despesas gerais e administrativas referem-se, basicamente, às despesas com pessoal, viagens, honorários e outras despesas gerais e administrativas, concentrando em grande parte nossas despesas fixas. Nos exercícios sociais encerrados em 28 de fevereiro de 2018 e 28 de fevereiro de 2017, as despesas gerais e administrativas representaram aproximadamente 5% da receita líquida dos períodos.

EBITDA

O EBITDA e a Margem EBITDA são indicadores financeiros utilizados para avaliar o resultado de empresas sem a influência de sua estrutura de capital, de efeitos tributários, outros impactos contábeis sem reflexo direto no fluxo de caixa da empresa, e outros itens não usuais ou que não são decorrentes de suas operações principais. Entendemos que é a medida apropriada para a correta compreensão da condição financeira e desempenho da Companhia. Nos últimos anos, entre fevereiro de 2011 e fevereiro de 2018, a margem de EBITDA da Camil como percentual da Receita Líquida de vendas e serviços variou entre, no mínimo, 9,8% e, no máximo, 11,7%, mesmo enfrentando o período de desaquecimento econômico e alta da inflação de referido período. grafico

Resultado Financeiro

As principais despesas financeiras são juros incidentes sobre o endividamento e variação cambial sobre transações comerciais em outras moedas. As principais receitas financeiras são rendimento de aplicações financeiras. A Companhia concluiu, desde 2017, iniciativas importantes na melhoria de sua estrutura de capital, incluindo o gerenciamento de seu endividamento. Realizamos emissões em CRAs, em montante superior a R$1bi, a taxas inferiores ao CDI, substituindo a utilização de linhas de capital de giro com custos mais altos, o que permitiu a redução do custo da dívida e melhoria do perfil de amortização. No exercício social encerrado em 28 de fevereiro de 2018, o resultado financeiro líquido atingiu uma despesa de R$74 milhões.

Imposto de Renda e Contribuição Social

No Brasil, a tributação sobre o lucro compreende o imposto de renda e a contribuição social. A provisão para imposto sobre a renda (IRPJ) e contribuição social (CSLL) está relacionada ao lucro tributável dos exercícios, sendo as alíquotas para IRPJ de 25% CSLL de 9% sobre o lucro tributável. No Uruguai a alíquota é de 25%, no Chile de 27%, na Argentina 35% e no Peru 29,5%, sendo que no Brasil esses resultados são tributados de acordo com a MP 2.159-70/2001 e da Lei
nº 12.973/14.
A alíquota da Companhia é impactada em alguns períodos em função de exclusões relativas ao reconhecimento de subvenção de ICMS e pagamento de Juros sob Capital Próprio, medida iniciada pela Companhia em dezembro de 2017. No exercício social encerrado em 28 de fevereiro de 2018, a alíquota efetiva foi de 23%.


Atualizado em 10/10/2019 às 09:40

voltar

topo