Pesquisa
Gerenciamento de Riscos

Como empresa listada no Novo Mercado da Bolsa de Valores, a Camil possui altos níveis de Governança Corporativa e preza pela ética e transparência na condução de seus negócios, assim como o pleno atendimento às legislações e regulamentações cabíveis.

Visando garantir a manutenção dos princípios éticos da Companhia em consonância com a legislação vigente, a Camil é dotada de um Conselho de Administração (composto por membros independentes), Conselho Fiscal e Comitês de assessoramento e supervisão nas áreas de Auditoria Interna, Ética, Finanças e Gente e Gestão, além de contar com avaliação externa e independente de suas demonstrações financeiras pela Auditoria Externa, que complementa o portfólio de estruturas mantenedoras das boas práticas de governança corporativa.

Em 10 de janeiro de 2019 o Conselho de Administração aprovou a Política de Gestão de Riscos da Companhia, a qual foi atualizada em 26 de maio de 2020. A sua formalização visa estabelecer e ratificar os princípios, conceitos e diretrizes, assim como os papéis e responsabilidades a serem observados no processo de Gestão de Riscos da Camil Alimentos S/A e suas controladas. Além disso, este instrumento normativo é uma demonstração da importância dada a Gestão de Riscos pela Companhia, a qual vem avaliando e gerenciando seus riscos, de forma que os mesmos fiquem dentro dos limites de apetite e tolerância ao risco por ela definidos, minimizando suas ameaças e potencializando suas oportunidades, aplicando uma abordagem de gestão de riscos integrada e alinhada com as estratégias e objetivos do negócio.

As premissas adotadas pela Companhia para gerenciamento de seus riscos baseiam-se na aplicação combinada dos princípios e diretrizes do “COSO ERM 2017 – Integrating with Strategy and Performance Executive Summary” e “ISO 31000:2018 – Gerenciamento de Riscos” como referência para Gestão de Riscos, a fim de constituir um modelo conceitual e prático para gerenciamento de riscos corporativos.

O compromisso com a integridade, os valores éticos, bem como com a disseminação da cultura de Gestão de Riscos na Companhia é responsabilidade de todos os colaboradores, sendo estes responsáveis também pelo gerenciamento de seus riscos e, com base nessa premissa, a estrutura de Gestão de Riscos da empresa considera a atuação conjunta dos órgãos de gestão e governança corporativa, de acordo com o conceito das 3 linhas de defesa do “Institute of Internal Auditors – IIA”.
Em concordância com nosso “Formulário de Referência”, tratamos dos principais grupos de risco, sendo eles os estratégicos, financeiros, operacionais/sistêmicos e de conformidade/regulatórios, que englobam, em sua totalidade, os riscos observados pela Camil.

Riscos relacionados à Companhia

O investimento nos valores mobiliários de emissão da Companhia envolve a exposição a determinados riscos e, antes de tomar qualquer decisão de investimento em qualquer valor mobiliário da Companhia, os potenciais investidores devem analisar cuidadosamente todas as informações contidas no nosso Formulário de Referência, as Demonstrações Financeiras da Companhia e respectivas notas explicativas, e os fatores de risco abaixo mencionados. Os negócios, situação financeira, resultados operacionais, fluxo de caixa, liquidez e/ou negócios futuros da Companhia poderão ser afetados de maneira adversa por qualquer dos fatores de risco descritos a seguir. Cabe ressaltar que os riscos aqui expostos não são exaustivos; para mais informações acesse o nosso Formulário de Referência.

  • A Companhia poderá não ser capaz de implementar com sucesso sua estratégia de negócios, o que poderá afetar adversamente seus resultados e o valor das ações de sua emissão;
  • A Companhia pode não conseguir manter a reputação e o reconhecimento das suas marcas ou desenvolver novas marcas com sucesso, o que poderá afetá-la adversamente;
  • A Companhia pode não conseguir integrar e captar sinergias de aquisições e associações, afetando de maneira adversa sua estratégia de crescimento;
  • A incapacidade da Companhia de honrar as suas obrigações financeiras, observar as restrições contratuais e obter capital adicional necessário para seu crescimento futuro, poderá afetar adversamente seus negócios;
  • Surtos de doenças contagiosas ou pandemias de enfermidades epidêmicas, como o novo coronavírus (COVID-19), podem causar alterações nos padrões de comércio e consumo, o que pode prejudicar significativamente as operações e os resultados operacionais da Companhia;
  • A Companhia está sujeita a riscos de conduta antiética, fraude, não aderência às regras e corrupção;
  • As operações dos sistemas tecnológicos da Companhia estão sujeitas a riscos de descontinuidade, capacidade e disponibilidade;
  • Ataques cibernéticos que resultem em violações de segurança de dados, podem vir a causar perda de receita, danos à reputação, bem como prejudicar as operações e resultar na divulgação de informações confidenciais ou exclusivas;
  • Eventuais alterações da legislação e regulamentação de privacidade de dados, bem como da interpretação desta, podem gerar custos expressivos para a Companhia bem como obrigá-la a alterar suas práticas de negócios;
  • A interrupção das atividades ou perda de unidades operacionais da Companhia, especialmente de produção, comercialização e distribuição, pode afetar adversamente os negócios, situação financeira e resultados da Companhia.

Os riscos acima descritos são aqueles que a Companhia conhece e entende que possam afetá-la adversamente. Além disso, riscos adicionais não conhecidos atualmente, ou considerados não materiais pela Companhia neste momento, também poderão afetar a Companhia adversamente caso se materializem. O preço de mercado dos valores mobiliários de emissão da Companhia poderá diminuir em razão de qualquer desses e/ou de outros fatores de risco, hipóteses em que os potenciais investidores poderão perder parte substancial ou até mesmo a totalidade de seu investimento nos valores mobiliários de emissão da Companhia.

Riscos de Mercado

Os riscos de mercado estão relacionados ao potencial impacto negativo sobre o valor de ativos e passivos da Companhia, decorrente de alterações adversas em parâmetros de mercado, como flutuações de valores de commodities negociadas pela Companhia, assim como em crédito, liquidez e taxas de juros e câmbio. No curso normal de seus negócios, a Companhia está exposta a riscos de mercado que são inerentes às atividades que executa, conforme descritos a seguir:

  • Risco de Commodities;
  • Risco de Crédito;
  • Risco de Liquidez;
  • Risco de Taxa de Juros; e
  • Risco de Câmbio.

Estes riscos estão descritos quantitativa e qualitativamente em nosso Formulário de Referência.

Riscos Relacionados a Fatores Macroeconômicos
  • A influência exercida pelo Governo Federal sobre a economia e ocorrência de eventos políticos, econômicos e sociais, podem afetar adversamente a economia brasileira, seus negócios e o valor de mercado dos valores mobiliários brasileiros, incluindo as suas ações. A Companhia define os fatores abaixo como os principais riscos macroeconômicos à qual está exposta e que podem afeta-la de maneira adversa e material.
  • A instabilidade política e econômica pode afetar adversamente os negócios, resultados operacionais e o preço das ações da Companhia;
  • Acontecimentos e a percepção de risco em outros países, principalmente em países emergentes, podem afetar adversamente o valor de mercado de valores mobiliários brasileiros e o preço das ações da Companhia;
  • A volatilidade e a falta de liquidez do mercado brasileiro de valores mobiliários, principalmente no segmento de listagem da Companhia poderão limitar substancialmente a capacidade dos titulares das ações de emissão da Companhia de vendê-las pelo preço e/ou na ocasião que desejarem;
  • A suspensão, o cancelamento ou a não renovação dos benefícios fiscais de que a Companhia é titular podem afetar negativamente sua lucratividade e liquidez;
  • Alterações na legislação tributária brasileira ou conflitos em sua interpretação podem impactar adversamente a Companhia, aumentando sua carga tributária;
  • A Companhia está sujeita a riscos macroeconômicos e políticos relacionados aos países onde opera e/ou para os quais exporta, como:
  • Aumentos de barreiras comerciais para importação e exportação de produtos do setor alimentício, tais como aumento de impostos e tarifas de importação sobre os seus produtos, subsídios governamentais e proibições ou imposição de restrições para exportar seus produtos a determinados mercados;
  • Alterações no entendimento ou no texto da legislação e regulamentação aplicável aos mercados nos quais atua, incluindo as de natureza tributária, trabalhista, ambiental e de vigilância sanitária, ou inconsistências entre legislações e regulamentações dos diferentes mercados nos quais atua;
  • Interferência dos governos locais nas políticas econômicas, especialmente em regimes fiscais e tributários;
  • Instabilidade política, econômica, cambial e desvalorização das moedas locais;
  • Liquidez nos mercados de capitais, financeiros e de empréstimos;
  • Greves nos portos, alfândegas, receita e polícia federal e outras interrupções no transporte dos seus produtos;
  • Desastres naturais, guerras / conflitos armados, embargos e/ou atos de terrorismo.

Os fatores macroeconômicos de risco acima listados não são exaustivos, para mais informações acesse o nosso Formulário de Referência.


Atualizado em 12/11/2020 às 10:25