Gerenciamento de Riscos

O gerenciamento de riscos envolve diferentes departamentos, e contempla uma série de políticas e estratégias de alocação de recursos consideradas adequadas pela Administração.

As políticas e estratégias são acompanhadas pela Diretoria, em conformidade com o Estatuto Social da Companhia.

Os detalhes a respeito da descrição e demais detalhes a respeito de cada risco podem ser consultados em nosso Formulário de Referência.

Riscos relacionados à Companhia

Apresentamos abaixo os principais fatores de riscos que afetam a Companhia:

  • A Companhia poderá não ser capaz de implementar com sucesso sua estratégia de expansão, o que poderá afetar adversamente seus resultados e o valor das ações de sua emissão;
  • A identidade e reputação das marcas da Companhia são essenciais para o sucesso de seu negócio. A Companhia pode não conseguir manter a reputação e o reconhecimento das suas marcas ou desenvolver novas marcas com sucesso, o que poderá afetá-la adversamente;
  • Parcela relevante da dívida bruta da Companhia vencerá nos próximos anos, sendo que os contratos de empréstimos, financiamentos, títulos e valores mobiliários da Companhia contêm ou podem vir a conter cláusulas restritivas. A incapacidade de a Companhia quitar seu endividamento tempestivamente, observar as restrições contratuais e obter capital adicional necessário para seu crescimento futuro, poderá afetar adversamente seus negócios, a capacidade de honrar as suas obrigações, bem como sua situação financeira;
  • A interrupção ou perda de certas plantas industriais, nossas ou de terceiros, pode nos afetar negativamente;
  • A perda de membros da alta administração da Companhia, ou da sua capacidade de atrair e reter profissionais qualificados para integrar seus quadros, pode ter um efeito adverso relevante sobre as suas atividades, situação financeira e resultados operacionais;
  • Decisões desfavoráveis em processos judiciais e arbitrais, investigações e procedimentos administrativos poderão afetar adversamente a Companhia;
  • Riscos sanitários relativos ao setor de alimentos podem prejudicar vendas dos produtos da Companhia, sendo que a Companhia poderá ser responsabilizada por incidentes com consumidores, estando sujeita a reclamações de consumidores e a recall de produtos, o que pode afetar negativamente sua imagem, bem como ter um impacto relevante em seus custos, acarretando um efeito adverso para a Companhia;
  • Falhas no funcionamento dos sistemas de tecnologia da informação da Companhia podem comprometer as suas operações;
  • A Companhia pode não pagar dividendos ou juros sobre capital próprio aos titulares de ações de sua emissão;
  • Perdas não cobertas pelas apólices de seguro contratadas pela Companhia ou que excedam os limites de indenizações contratados, podem causar efeitos adversos nos negócios da Companhia;
  • A Companhia pode precisar de recursos adicionais no futuro por meio de emissão de ações ou outros valores mobiliários conversíveis ou permutáveis em ações, o que pode resultar em uma diluição da participação de seus acionistas no capital social da Companhia;
  • Os acionistas controladores da Companhia poderão ter interesses que sejam divergentes dos interesses dos demais acionistas;
  • Parte dos resultados da Companhia depende dos negócios, situação financeira e resultados operacionais de determinadas controladas, que, caso deteriorem-se, poderão afetar adversamente os resultados da Companhia;
  • Dependência de fornecedor de açúcar e escassez de oferta de açúcar podem prejudicar os negócios da Companhia;
  • Os negócios da Companhia poderão ser afetados adversamente por flutuações nos preços de matérias primas e demais eventos relacionados a insumos;
  • Parcela relevante da receita líquida de vendas e serviços da Companhia decorre da receita gerada por um número limitado de grandes redes varejistas. Um aumento na concentração do mercado varejista pode forçar empresas do setor a reduzir suas margens, o que pode ter um efeito adverso para a Companhia;
  • A interrupção dos transportes e serviços de logística, ou investimentos insuficientes em infraestrutura pública, podem afetar negativamente os resultados operacionais da Companhia;
  • A Companhia atua em um setor competitivo e sua consolidação poderá intensificar a concorrência;
  • A suspensão, o cancelamento ou a não renovação dos benefícios fiscais de que a Companhia é titular podem afetar negativamente sua lucratividade e liquidez;
  • Alterações na legislação tributária brasileira ou conflitos em sua interpretação podem impactar adversamente a Companhia, aumentando os impostos que a Companhia é obrigada a pagar;
  • Falta ou atrasos na obtenção e/ou renovação das licenças, autorizações, alvarás e registros necessários pode prejudicar o regular funcionamento das operações da Companhia;
  • A Companhia está sujeita a riscos relacionados a países onde opera e para os quais exporta;
  • A Companhia está sujeita a normas ambientais.
Riscos de Mercado

A Companhia está exposta a riscos de mercado decorrentes das suas atividades e de seus negócios, conforme descritos em nosso formulário de referência. Esses riscos envolvem alterações na taxa de juros, índices de inadimplência no crédito, assim como flutuações na taxa de câmbio, que podem afetar adversamente o valor dos passivos financeiros ou o fluxo de caixa futuro, bem como os resultados da Companhia:

  • Risco de preços dos insumos e dos produtos acabados;
  • Risco de compra de açúcar;
  • Risco de inflação;
  • Risco de taxa de juros;
  • Risco de taxa de câmbio;
  • Risco de Crédito;
  • Risco de Liquidez.
Riscos relacionados a Fatores Macroeconômicos
  • O governo federal exerceu e continua a exercer influência significativa sobre a economia brasileira. Essa influência, bem como a conjuntura econômica e política brasileira, podem ter um efeito adverso sobre a Companhia;
  • Instabilidade política tem afetado adversamente a economia brasileira, os negócios da Companhia e os resultados de suas operações, podendo afetar também o preço de negociação de suas ações;
  • Esforços governamentais podem impactar as taxas de juros e a inflação, influenciando assim o crescimento da economia brasileira e as atividades da Companhia;
  • A instabilidade cambial pode prejudicar a economia brasileira e, consequentemente, a Companhia;
  • Qualquer outro rebaixamento na classificação de crédito do Brasil pode afetar adversamente o preço de negociação dos valores mobiliários de emissão da Companhia;
  • Riscos relacionados à situação da economia global poderão afetar a percepção do risco em outros países, especialmente nos mercados emergentes, o que poderá afetar negativamente a economia brasileira, inclusive por meio de oscilações nos mercados de valores mobiliários;
  • A volatilidade e a falta de liquidez do mercado brasileiro de valores mobiliários, principalmente no segmento de listagem da Companhia poderão limitar substancialmente a capacidade dos titulares das ações de emissão da Companhia de vendê-las pelo preço e/ou na ocasião que desejarem.

Atualizado em 23/11/2017 às 11:02

voltar

topo